Palavra Não Dita

em sábado, 18 de novembro de 2017

Não quero ouvir a palavra que ecoa em meu peito, e nem por despeito ousa sair.
Nem pensar que exista a possibilidade de amar; quero sentir a ilusão em mim, de não saber te dizer o que significa meu olhar.
As noites certas de solidão, de
espera, na certeza de querer e fugir, de poder aguentar a queda, mas temer a possibilidade do encontro, como as pedras que não temem o mar, mas se refugiam na praia.
Espero, realmente, poder te encontrar e dizer o que sinto sem medo, sem amanhã, mesmo que me sinta uma louca, mesmo se eu me perder.
E no exato momento em que eu ouvir a voz dos que ressurgiram do nada, eu possa entender que por mais que eu me esconda, o espelho sempre vai me mostrar o amor que trago em mim.
Então fico na espera de toda a eternidade para poder dizer a você: Te amo.

Enola


Nenhum comentário , comente também!

Postar um comentário