Plenitude do Amor

em terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Ao tomar meu banho
Naquele dia,
O cheiro de você
Emanava do meu corpo,
E eu o sentia.
E ele, (o corpo).
De cansaço quase morto,
De tanto te amar,
Tombou sobre a cama, satisfeito.
E sabia
Que te amar daquele jeito,
Era algo divino,
Pois que só o amor satisfazia.
E pensava
Que o resto do mundo
Se anulava,
Ao tocar de nossos sexos.
Pois a gaivota em seu ninho pousava,
E a palavra mais complexa,
Naquele instante,
Encontrava seu nexo.

Autor Desconhecido

Nenhum comentário , comente também!

Postar um comentário