Nuvem

em sábado, 30 de junho de 2018

Vai, nuvem,
Que me encobre a visão,
Leva em frente
Tua penumbra,
A estilhaçar emoções,
Vai, nuvem,
Não atrase teu destino,
Nem mudes teu caminhar;
Vai, aproveite,
Tua vida é estreita,
E teu fim já se avista;
Não te demores,
Pois te espero,
E, tanto quero,
Estar junto, para ver teu dissipar,
Não te importes com tua forma,
Abra mais teu manto negro,
Para apressar teu terminar;
És nebulosa, és nada,
És fraca, e não és fada,
É teu fim.
Por isso, não toques em mim,
As lágrimas do teu chorar;
Adeus... nimbus claudicante,
De nada valeu tua sombra,
Tão pouco teu vil agir;
Passaste por este espaço,
De ti não sobrou um traço,
Que marque a tua lembrança;
Quem sabe o sol que te tapaste,
Leve de volta, as lagrimas
Que chorastes,
Para que possa um dia,
Te ver cirrus alegria,
Continuar tuas andanças
E poder te acompanhar.
Fer Biazus

Nenhum comentário , comente também!

Postar um comentário