O ABISMO

em segunda-feira, 23 de abril de 2018

Pascal em si tinha um abismo se movendo. 

- Ai!, tudo é abismo! - sonho, ação, desejo intenso, 

Palavra! E sobre mim, num calafrio, eu penso 

Sentir do Medo o vento às vezes se estendendo. 

Em volta, do alto, embaixo, a profundeza, o denso 

Silêncio, a tumba, o espaço cativante e horrendo... 
Em minhas noites, Deus, o sábio dedo erguendo, 
Desenha um pesadelo multiforme e imenso. 

Tenho medo do sono, o túnel que me esconde, 
Cheio de vago horror, levando não sei aonde; 
Do infinito, à janela, eu gozo os cruéis prazeres, 

E meu espírito, ébrio afeito ao desvario, 
Ao nada inveja a insensibilidade e o frio. 
- Ah, não sair jamais dos Números e Serees.



Charles Baudelaire

Nenhum comentário , comente também!

Postar um comentário