POEMA DA UTOPIA

em segunda-feira, 17 de setembro de 2018

A noite

caiu sem manchas e sem culpa.

Os homens largaram as máscaras de bons actores.

Findou o espectáculo. Tudo o mais é arrabalde.
No alto, a utópica Lua vela comigo

E sonha coalhar de branco as sombras do mundo.
Um palhaço, a seu lado, sopra no ventre dos búzios.
Noite! Se o espectáculo findou
Deixa-nos também dormir.


Fernando Namora






Nenhum comentário , comente também!

Postar um comentário