AUSÊNCIA

em sexta-feira, 28 de agosto de 2020

AUSÊNCIA

Habré de levantar la vasta vida
que aún ahora es tu espejo:
cada mañana habré de reconstruirla.
Desde que te alejaste,
cuántos lugares se han tornado vanos
y sin sentido, iguales
a luces en el día.
Tardes que fueron nicho de tu imagen,
músicas en que siempre me aguardabas,
palabras de aquel tiempo,
yo tendré que quebrarlas con mis manos.
¿En qué hondonada esconderé mi alma
para que no vea tu ausencia
que como un sol terrible, sin ocaso,

brilla definitiva y despiadada?
Tu ausencia me rodea
como la cuerda a la garganta,
el mar al que se hunde.

TRADUÇÃO

Vou levantar a vasta vida
que mesmo agora é o seu espelho:
todas as manhãs terei que reconstruí-lo.
Desde que você foi embora
quantos lugares se tornaram vãos
e sem sentido, igual às luzes do dia.
Tardes que foram o nicho da sua imagem,
musica em que voce sempre esperou por mim,
palavras daquela época,
Terei que quebrá-los com minhas mãos.
Em que oco irei esconder minha alma
então eu não vejo sua ausência que como um sol terrível,
sem se pôr, brilha final e implacável?
Sua ausência me cerca como a corda na garganta,
o mar para o qual ele afunda.

Jorge Luis Borges

Nenhum comentário , comente também!

Postar um comentário